Notícias

Federações dos Servidores Públicos da região Sul reúnem-se em Blumenau

 

A Federação dos Trabalhadores no Serviço Público Municipal do Estado de Santa Catarina (Fetramesc) realizou na manhã de quarta-feira, 8 de junho, um encontro com membros de sua diretoria e com os presidentes e diretores das Federações do Paraná e do Rio Grande do Sul, Fesmepar e Fesismers, respectivamente, a fim de discutir demandas em comum das entidades. A reunião aconteceu na sede da Fetramesc, em Blumenau, momento em que foram definidas uma série de ações que serão colocadas em prática, entre elas a elaboração da Carta de Blumenau, com a assinatura das três Federações.

De acordo com o presidente da Fetramesc, Orlando Soares Filho, juntas, as Federações presentes no encontro representam mais de 800 municípios nos estados de Santa Catarina, Paraná e Rio Grande do Sul. Durante a reunião, os dirigentes debateram sobre a perda de direitos dos trabalhadores, com as Reformas da Previdência e Trabalhista; analisaram a aplicabilidade de leis que beneficiam os servidores, mas que não estão sendo cumpridas em algumas regiões; e as ações que podem ser tomadas para seu enfrentamento. Além disso, expuseram suas preocupações a respeito da representatividade junto à Confederação dos Servidores Públicos do Brasil (CSPB).

“Tivemos um encontro muito positivo com os presidentes e diretores das três Federações do Sul do país, onde tratamos de assuntos importantes. Agora vamos levar adiante o que discutimos aqui, com pauta junto à nossa Confederação e também com os candidatos que estarão disputando a eleição presidencial. Vamos ver o que acontece a partir de 1º de janeiro de 2023. Caso haja mudança na política partidária, com certeza nós queremos, enquanto entidades sindicais do Sul do país, participar da reformulação do modelo sindical do Brasil”, ressalta Soares Filho.

Carta de Blumenau

Nos próximos dias, as Federações do Sul assinarão em conjunto a Carta de Blumenau, documento que está sendo elaborado com os principais pontos discutidos durante a reunião. “Faremos a Carta de Blumenau onde vamos tratar de ratificar o apoio à CSPB, e ao mesmo tempo vamos solicitar que ela abra mais espaço às três Federações do Sul, em suas decisões. Entendemos que não se pode tratar de Reforma Trabalhista, de financiamento do movimento sindical, sem escutar quem nesses anos que se passaram, permaneceu na luta, esteve com a base, manteve o movimento sindical na ativa. O que nós queremos nesse momento, é que quem trabalhou, a base que esteve atuante, seja protagonista dessa refundação do modelo de movimento sindical que nós queremos para o país”, frisa o presidente da Fetramesc.

Opinião semelhante é compartilhada pelo presidente da Federação dos Sindicatos de Servidores Municipais do Estado do Rio Grande do Sul (Fesismers), Luís Claudiomiro de Quadros. “Tivemos um bom encontro, com troca de ideias e informações para o fortalecimento da categoria do servidor, das Federações, dos sindicatos e da nossa Confederação, que precisa ser reestruturada. Hoje, a atual administração do governo federal só pensa em retirar direitos dos trabalhadores e dos servidores públicos e temos que combater isso. Temos leis que não estão sendo aplicadas e o único caminho que estamos encontrando, é o Judiciário. Então precisamos reforçar as entidades para que consigamos êxito na busca pelos direitos dos trabalhadores e isso passa pela CSPB. Nosso intuito, ao elaborarmos a Carta de Blumenau, é reforçar nosso apoio ao atual presidente da Confederação e solicitar um posicionamento dele referente às várias demandas que temos, como o enfrentamento às administrações públicas que não cumprem as leis. Além disso, queremos ter vez e voz dentro da Confederação”, enfatiza.

Na avaliação do presidente da Federação dos Sindicatos dos Servidores Públicos Municipais e Estaduais do Paraná (Fesmepar), Luiz Carlos Silva de Oliveira, o objetivo é buscar com que a CSPB esteja mais próxima das Federações. “Saímos de Blumenau com uma avaliação muito positiva do encontro. Discutimos muitos assuntos que tratam dos sindicatos e da questão política, tanto a partidária, quanto a sindical, que é a mais importante, a participação dos trabalhadores dos sindicatos. Temos aí vários problemas, as reformas que foram feitas nos governos, e que nos prejudicam bastante. Além disso, hoje temos dificuldades com as negociações com muitos prefeitos. Entendemos que é uma discussão necessária, justamente para que o próximo governo traga reformas que venham ajudar os trabalhadores. Fizemos um bom debate entre as três Federações, unificando as lutas e buscando também a valorização da Confederação. Que ela esteja mais junto das Federações e possa contribuir para que o próximo governo faça as mudanças que tanto interessa ao povo brasileiro e principalmente aos servidores públicos”, complementou.

Próximas ações

Após o encontro das Federações da região Sul, a Fetramesc reuniu sua diretoria para apresentar uma pesquisa realizada junto aos sindicatos associados, que será utilizada para elaboração de ações da entidade nos próximos meses. “Nós contratamos um assessor econômico com a proposta de obtermos dados e informações para que possamos planejar nossas ações. E nesta reunião ele apresentou um primeiro esboço sobre a realidade de cada sindicato, a periodicidade de reuniões, o mês de Data Base, quem tem plano de carreira, estatuto, entre diversas outras informações. A partir disso, faremos um diagnóstico, para aprofundar as lutas da Fetramesc”, comenta Soares Filho.

Ainda durante o encontro, os diretores expuseram situações enfrentadas em alguns municípios, desafios nas negociações e definiram a realização do primeiro encontro de presidentes e assessores jurídicos dos sindicatos filiados à Fetramesc, que será realizado no mês de setembro, na cidade de Lages. “Este evento terá como objetivo único ‘como podemos melhorar as assessorias jurídicas dos sindicatos e fazer o contraponto às assessorias jurídicas das prefeituras e associações’. O que estávamos lutando individualmente, a partir de setembro teremos uma organização coesa, de advogados de sindicatos lutando juntos. E este é o objetivo da Federação, ajudar os sindicatos que estão na base, defendendo seus servidores públicos”, ressalta o presidente.

Compartilhe nosso conteúdo nas redes sociais