Fetramesc - Federação dos Trabalhadores Municipais do Estado de Santa Catarina 

15 de Agosto de 2018



Fetramesc - Secretarias

Secretaria: Região Sul

Endereço: Praça Hercílio Luz - Sala 34 - Galeria Alvorada - Centro - Ararângua/SC

Fone: 48 9651 9145

Responsavel: Sandro Luiz Pagnan

Lista de Notícias

Confirmado primeiro caso de Zika Víus no Vale do Araranguá[+]


O Boletim Epidemiológico n° 08/2016 sobre Situação da Dengue, Febre do Chikungunya e Zika Vírus em Santa Catarina (atualizado em 08/03/2016) confirmou um caso de zika vírus em São João do Sul. O caso é importado.

Quanto a casos de dengue, Passo de Torres está entre os municípios considerados infestados pelo mosquito Aedes aegypti e Sombrio considerado em situação de risco, por apresentar aumento do número de focos e de área de detecção.

A Diretoria de Vigilância Epidemiológica - DIVE divulgou o boletim com dados referentes até a Semana Epidemiológica n° 9 (1 de janeiro a 5 de março de 2016).

Dengue

Quanto a casos de dengue, Passo de Torres está entre os municípios considerados infestados pelo mosquito Aedes aegypti e Sombrio considerado em situação de risco, por apresentarem aumento do número de focos e de área de detecção.

No período de 01 de janeiro a 05 de março de 2016 foram notificados 4.109 casos suspeitos de dengue em Santa Catarina. Desses, 1.050 (26%) foram confirmados (1.018 pelo critério laboratorial e 32 pelo critério clínico epidemiológico), 1.680 (41%) foram descartados por apresentarem resultado negativo para dengue e 1.379 (34%) casos estão em investigação pelos municípios.

Do total de casos confirmados (1.050) até o momento, 898 (86%) são autóctones, com transmissão dentro de Santa Catarina, 107 (10%) são importados (transmissão fora do Estado) e 45 (4%) estão aguardando definição do Local Provável de Infecção (LPI).

Até o momento, foi confirmada circulação autóctone de dengue em 17 municípios do estado. Do total de 898 casos autóctones, 725 (80,7%) são de Pinhalzinho, seguido de Chapecó (56 casos – 6,2%), Descanso (26 casos – 2,9%).

Em Santa Catarina, no ano de 2016, o último relatório divulgado, o número de casos notificados de dengue (4.109 casos) está acima do registrado no mesmo período em 2015 (2.884 casos), representando um aumento de 30% no registro de um ano para outro. Já em relação aos casos autóctones, em 2016, também considerando até a SE 09 (5/3), foram confirmados 898 casos, enquanto que no mesmo período em 2015 haviam sido confirmados 775 casos, representando um aumento de 14% no número de casos autóctones confirmados de um ano para outro.

Atualmente, há 30 municípios considerados infestados pelo mosquito Aedes aegypti: Anchieta, Balneário Camboriú, Chapecó, Cordilheira Alta, Coronel Freitas, Coronel Martins, Cunha Porã, Florianópolis, Guaraciaba, Guarujá do Sul, Itajaí, Itapema, Joinville, Maravilha, Nova Itaberaba, Novo Horizonte, Palmitos, PASSO DE TORRES, Pinhalzinho, Planalto Alegre, Princesa, Quilombo, São Bernardino, São José, São Lourenço do Oeste, São Miguel do Oeste, Serra Alta, União do Oeste, Xanxerê e Xaxim. A definição de infestação é realizada de acordo com a disseminação e manutenção dos focos.

Municípios em situação de risco

Outros 28 municípios são considerados em situação de risco, por apresentarem aumento do número de focos e de área de detecção, introdução do Aedes aegypti devido à proximidade com municípios infestados com transmissão ou infestados, ocorrência de casos isolados ou por serem polos nas regiões em que estão inseridos. São eles: SOMBRIO, Canoinhas, Porto União, Concórdia, Palhoça, Tijucas, Jaraguá do Sul, Dionísio Cerqueira, Mondaí, Palma Sola, Tubarão, Caçador, Blumenau, Brusque, Cunha Porã, Nova Erechim, Criciúma, Bombinhas, Balneário Piçarras, Camboriú, Ilhota, Luís Alves, Navegantes, Penha, Porto Belo, São Bento do Sul, Ipuaçu e São Domingos.

Febre de Chikungunya

No período de 1 de janeiro a 5 de março de 2016, foram notificados 182 casos suspeitos de Febre de Chikungunya em Santa Catarina. Desses, 09 (5%) foram confirmados, 20 (11%) foram descartados e 153 (84%) permanecem em investigação. Dos casos confirmados (09), 08 são importados e 01 está em investigação para definir o local provável de infecção (Tabela 3 e 4).
Em 2015 foram notificados 134 casos suspeitos de Chikungunya, dos quais 08 (6%) foram confirmados, 98 (73%) foram descartados e 28 (21%) permanecem em investigação. Do total de oito casos confirmados, um foi autóctone do município de Itajaí e outros sete foram importados de outros estados. Esses casos foram identificados em Blumenau, Cunha Porã, Itajaí, Jaraguá do Sul, Joinville e São José.

Febre do Zika Vírus

No período de 1 de janeiro a 5 de março de 2016 foram notificados 173 casos suspeitos de Febre do Zika Vírus em Santa Catarina. Desses, 13 (8%) foram confirmados (12 pelo critério clínico-epidemiológico e 01 pelo critério laboratorial), 98 (57%) foram descartados e 62 (36%) permanecem em investigação.

Todos os casos confirmados são importados. Esses casos foram identificados em Belmonte, Braço do Norte, Brusque, Camboriú, Florianópolis, Ipuaçu, Luiz Alves, Paraíso, SÃO JOÃO DO SUL, Videira e Xanxerê. Os prováveis locais de infecção foram os estados do Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Rio de Janeiro, Rondônia, São Paulo e Sergipe.

Com informações da Revista W3